domingo, 17 de janeiro de 2010

Estou aqui para aprender

Agente sempre vive acreditando em coisas...em pessoas, vivendo intensamente situações um tanto quanto sentimentais.
Será que deixei esquecido no fundo de um baú um adjetivo chamado sensatez? Tenho a impressão que essa sensatez me seria muito útil, se eu a usasse com mais frequência.
Por medo da partida não deveria deixar ninguém chegar.
Sei que essa "chegada" vai ter um dia uma partida e isso vai doer.
Mas não me ensinaram como se faz para não sofrer.
Hoje já um pouco mais experiente, vejo de que são feitas as promessas...as eternas promessas, aquelas que jamais deveríamos ter acreditado,elas são feitas de momentos, de empolgação, mas naquele momento você acredita, e algum tempo depois descobre que tudo não passou de momentos...
Hoje vejo que não existe ninguém que realmente te ame incondicionalmente e que nunca temos a verdadeira certeza de uma segurança.
Alguém que te fez tantas juras eternas,hoje passam por voçê e muitas vezes nem te conhece mais.
Mesmo minhas alegrias,como são solitárias as vezes.E uma alegria solitária pode se tornar patética.É como ficar com um presente embrulhado com papel colorido nas mãos e não ter pra quem dizer:tome é seu abra-o.
Não querendo me ver em situações patéticas,e por uma espécie de contenção,evitando o tom de tragédia,então vou procurar evitar embrulhar com papel de presente os meus sentimentos!