domingo, 7 de novembro de 2010

mas acontece que este é também o meu sintoma, “não conseguir
[falar”
não ter posição marcada, idéias, opiniões, fala desvairada. só de não-ditos ou de delicadezas se faz minha conversa, e para não ficar louca e inteiramente solta nesse pântano, marco para mim o limite da paixão, e me tensiono na beira: tenho de meu (discurso) este resíduo.

não tenho idéias, só o contorno de uma sintaxe ( = ritmo).

Ana Cristina Cesar